Educação e esportes para crianças que vivem em situação de vulnerabilidade social

Mangueira, a escola de samba

A Estrela da Favela está localizada no morro da Mangueira, um dos nomes mais conhecidos e queridos do Carnaval do Rio de Janeiro.

A Mangueira é, de fato, a mais antiga e uma das maiores e melhores escolas de samba do Rio de Janeiro.

A escola de samba Estação Primeira de Mangueira foi fundada em 1928.
Cada escola de samba elege as cores da sua bandeira, que são as cores que predominam nas fantasias do desfile de carnaval.

Um belo e importante detalhe: a Mangueira foi a primeira escola de samba a permitir que as mulheres participassem do desfile de carnaval.
E não parou por aí: a Mangueira quebrou mais tabus em relação às mulheres: em 2007, também foi a primeira escola de samba a convidar as mulheres para participarem da percussão.

Antes dessa inovação, apenas os homens faziam parte da percussão. Esse foi um passo inclusivo, quando ainda não se falava em inclusão!

Essa decisão foi recebida com sentimentos contraditórios pelo restante da comunidade carnavalesca das escolas de samba.

Toda escola de samba tem uma grande rainha que lidera a escola, que originalmente era a dançarina de samba mais bonita do bairro. Atualmente, no entanto, o posto está mais comercializado. As maiores escolas de samba contratam estrelas pop e atrizes de novelas como suas rainhas.
No entanto, existem outras posições desejáveis para as dançarinas.

Entre os desfiles de samba de uma escola, há rainhas de bateria de diferentes seções. São posições altamente competitivas.

O documentário “Mangueira em dois tempos", que estreou no festival do Rio em dezembro de 2019, mostra a história dessas rainhas.
No documentário, várias dançarinas de samba anteriores recordam as duras condições de vida do passado e o prazer de dançar o samba.
Uma das principais personagens do documentário, uma ex-rainha do samba, é mãe de duas alunas da Estrela da Favela. Algumas meninas da Estrela da Favela sonham em se tornar uma rainha no futuro.

Em 2019, um ousado desfile de carnaval da Mangueira sacudiu o famoso Sambódromo. O desfile foi um ataque direto à governança política atual e exigiu atenção de grupos minoritários. Uma bandeira verde-e-rosa voava no formato da bandeira brasileira.
Em vez do lema “Ordem e Progresso", exibia “Índios, negros e pobres".

Além disso, a Mangueira glorificou a política de esquerda, Marielle Franco, que fora covardemente assassinada.
A Escola foi a campeã absoluta de 2019!

Neste ano de 2020, apoiamos a Mangueira novamente, junto com nossas crianças.

No domingo de carnaval, a Mangueira desfilará no Sambódromo.Veja o samba-enredo do carnaval de 2020 da Mangueira aqui.